10 passos para uma alimentação saudável e adequada

Em uma época de muito terrorismo alimentar e que alguns profissionais estimulam restrições sem provas científicas, é momento de olharmos para trás e aproveitarmos algo que temos disponível de forma prática e gratuita: O Guia Alimentar para a população brasileira. O nosso guia é extremamente rico em informações e pode nos auxiliar na prática clínica em consultório.

Ao final do guia temos os 10 passos para alimentação saudável e adequada, que deve sim ser passado aos nossos pacientes!

Aqui passarei os 10 passos e uma breve explanação sobre cada um deles.

  • Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação

Os alimentos in natura ou minimamente processados são a base ideal para uma alimentação nutricionalmente balanceada, saborosa e promotora de um sistema alimentar ambientalmente sustentável. Aqui falamos de alimentos de todos os tipos (grãos, raízes, tubérculos, farinhas, legumes, verduras, frutas, castanhas, …).

  • Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias

Devem ser utilizados com moderação em preparações culinárias com base em alimentos in natura. Óleos, gorduras, sal e açúcar contribuem para diversificar e tornar mais saborosa a alimentação, sem torna-la nutricionalmente desbalanceada.

  • Limitar o consumo de alimentos processados

Os ingredientes e métodos utilizados na fabricação de alimentos processados alteram de modo desfavorável a composição nutricional dos alimentos. Em pequenas quantidades podem ser consumidos como ingredientes de preparações culinárias, mas não devem ser utilizados como base da alimentação.

  • Evitar o consumo de alimentos ultra processados

Em função de seus ingredientes, o os alimentos ultra processados são nutricionalmente desbalanceados. Normalmente são consumidos em excesso e em substituição aos alimentos in natura ou minimamente processados. Exemplos desses alimentos são biscoitos recheados, refrigerante, macarrão instantâneo, etc.

  • Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia

É importante fazer as refeições em horários semelhantes todos os dias e não beliscar entre as refeições. Coma devagar e desfrute do alimento, sem se envolver em outra atividade. Procure comer em locais confortáveis e tranquilos. Sempre que possível, coma em companhia, com familiares, amigos ou colegas de trabalho ou escola. Compartilhe também as atividades domésticas que antecedem ou sucedem o consumo das refeições.

  • Fazer compras em locais que ofertem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados

Procure fazer compras em mercados, feiras e outros locais que comercializem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados. Prefira legumes, verduras e frutas da estação e cultivados localmente. Sempre que possível, adquira alimentos orgânicos.

  • Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias

Procure desenvolver suas habilidades culinárias e partilhá-las, principalmente com crianças e jovens. Se você não tem habilidades culinárias – e isso vale para homens e mulheres- procure adquiri-las. Converse com pessoas que sabem cozinhar, peça receitas a conhecidos, leia livros, faça cursos… e comece a cozinhar!

  • Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece

Tente planejar as compras de alimentos, organize a despensa e defina com antecedência o cardápio da semana! Faça a preparação de refeições e do ato de comer momentos privilegiados de convivência e prazer. Reavalie como você tem utilizado o seu tempo e identifique quais atividades poderiam ceder espaço para a alimentação.

  • Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora

No dia a dia, procure locais que sirvam refeições feitas na hora e com preço justo. Restaurantes de comida a quilo podem ser boas opções, assim como refeitórios que servem comida caseira em escolas ou no local de trabalho.

  • Ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais

Lembre-se de que o principal papel da publicidade é aumentar a venda de produtos, e não informar ou educar pessoas. Avalie com crítica o que você lê, vê ou ouve sobre alimentação em propagandas comerciais!

Eaí, vamos colocar em prática esses 10 passos do nosso guia alimentar?

 

Referência: http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2014/novembro/05/Guia-Alimentar-para-a-pop-brasiliera-Miolo-PDF-Internet.pdf

Luiza Ferracini Cunha

Nutricionista CRN2: 12980

Mestranda em Ciências da Saúde – UCSPA

Nutricionista do Dietbox

luiza@dietbox.me

Deixe uma resposta