Dieta “low carb”

“Low carb” é uma expressão em inglês que significa baixo carboidrato, não “no carb” como muitas pessoas confundem. De acordo com as recomendações nutricionais vigentes a quantidade de carboidratos diária deve variar entre 45 a 65% das necessidades diárias individuais. Então se o indivíduo consumir menos que isso ele estará fazendo “low carb”.

“Low carb” tem sido muito utilizada para o tratamento de obesidade, síndrome metabólica, hipertensão e diabetes, além de emagrecimento. A redução dos carboidratos leva a diminuição da secreção de insulina, hormônio liberado pelo pâncreas que está diretamente relacionado ao armazenamento de gordura. Outra coisa interessante na “low carb” é que deixando a insulina baixa, associada ao aumento das gorduras boas, acontece um maior período de saciedade no organismo, melhorando com isso a fome que é comum em dietas tradicionais.

É importante salientar que existem alimentos que são naturalmente mais ricos em carboidratos e outros mais pobres, mas o principal é o contexto geral da dieta, ou seja, alimentos mais ricos em carboidratos podem fazer parte do plano alimentar e a dieta continuar sendo bem “low carb”.

Por isso é importante priorizar os BONS carboidratos como, tubérculos (batata doce, inhame, cará, batata inglesa, batata salsa, aipim, leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico), arroz negro, arroz vermelho, arroz 7 grãos, todos os legumes e verduras, farelo de aveia, frutas, iogurtes preferencialmente com lactobacillus, quinoa, chocolate no mínimo 70% de cacau, pasta de amendoim sem açúcar, adoçante xilitol ou estévia, oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas, macadâmia), queijos (com moderação).

 E evitar os carboidratos RUINS: que elevam muito o açúcar e a insulina, bloqueando o emagrecimento como, açúcar, Arroz branco, pães integrais industrializados, fubá, farinha de mandioca, pães sem glúten com farinha de arroz, polvilho e fécula de batata, barra de cereal, biscoitos, doces, TODAS as farinhas refinadas (incluindo as sem glúten), flocos de milho, granola, massas e pães brancos, aveia em flocos ou farinha de aveia, mingau, purê de batatas, maionese de batatas, massas brancas, sucos de frutas industrializados ou naturais, leite, todos os tipos de açúcar, mel.

Lembrando que a BASE da alimentação “low carb” pra quem quer ter saúde e disposição são VERDURAS E LEGUMES e não carnes, ovos e bacon, como muita gente faz por aí!

Miella Karla Alves de Andrade

Especialista em nutrição clínica pela UPE

CRN6:11207

Instagram: mirellaalvesnutri

Nenhum pensamento

Deixe uma resposta