O que é melhor: plano alimentar no papel ou no celular?

A chegada da tecnologia mudou completamente a dinâmica que existia entre pacientes e profissionais da saúde. Para os nutricionistas, essa realidade atinge o principal “produto” de sua consulta: o plano alimentar. Cada vez mais pacientes têm requisitado o envio dos planos via e-mail ou aplicativos de celular, assim como muitos nutricionistas têm sugerido essa alternativa ao invés do papel para seus pacientes.

Mas afinal, é melhor ou pior trabalhar com o plano alimentar no celular? Vamos discutir algumas características dessas duas alternativas abaixo!

Plano alimentar no papel pode se perder facilmente

Talvez uma das piores desvantagens para o nutricionista e para o paciente na entrega do plano alimentar impresso é que essa via pode se perder facilmente – virando, inclusive, uma bela desculpa para quem não estava tão motivado em seguir as orientações do profissional. O papel também pode envelhecer, estragar, molhar, rasgar ou simplesmente ser esquecido no fundo da bolsa do paciente.

Plano alimentar no celular está sempre por perto

Como praticamente vivemos com nossos celulares nas mãos, ter o plano alimentar nesse aparelho torna a consulta por informações nesse documento muito mais prática e eficiente, podendo fazer a diferença na hora de realmente aderir às orientações do nutricionista. O paciente terá o plano alimentar à mão onde ele estiver e poderá acessá-lo a qualquer momento do dia.

Alterações são facilmente realizadas em planos no celular

Planos alimentares são tratamentos que estão sempre sujeitos a algum tipo de mudança, afinal, a adaptação à alimentação não é uma ciência exata e precisa ser ajustada de acordo com o acompanhamento dos resultados do paciente. Fazer a alteração em um documento online é, portanto, muito mais fácil do que fazer a alteração em um documento de papel, sendo essa alternativa tão vantajosa para o nutricionista, quanto para o paciente.

O plano no papel é menos sustentável e prático

Falamos tanto de sustentabilidade nos dias atuais que é importante começar a levar em consideração como a sua atividade profissional ajuda a cuidar do meio ambiente. O uso de planos alimentares de papel é uma estratégia que vai na contramão da sustentabilidade, visto que aumenta o uso desse material nada sustentável. Optar pelo plano alimentar no celular é uma maneira de reduzir os seus custos com papel e, é claro, cuidar do planeta em que vivemos.

O nutricionista não precisa ter uma impressora no consultório

Falando em gastos, se você trabalha com o envio de orientações e planos alimentares no celular, você não precisará se preocupar em ter que comprar – e manter – uma impressora no consultório para poder entregar esses documentos para o paciente. Se pensarmos, portanto, no aspecto econômico, o plano alimentar no celular mais uma vez sai na frente da sua versão em papel.

Em resumo, o envio do plano alimentar no celular é, geralmente, uma alternativa mais vantajosa do que a sua versão em papel – tanto para pacientes, quanto para os profissionais do campo da nutrição. Como você tem feito para enviar esse documento para seus pacientes? Conte para a gente!