Tudo o que você precisa saber sobre marketing para nutricionistas

Não basta você fazer faculdade, especializações, ser um excelente profissional e não ter clientes. Alguns simplesmente batem à sua porta, sim, mas se você quer garantir a sustentabilidade do seu consultório, o ideal é que você também busque por eles. Apesar de haver algumas regras para a propaganda em saúde, o marketing para nutricionistas pode ser utilizado de forma inteligente para divulgar seu trabalho, sem ferir qualquer aspecto da ética profissional – e tem, efetivamente, se tornado uma ferramenta valiosa para muitos profissionais da área. Veja como ele funciona e tudo o que você pode (e não pode) fazer com ele.

Mas afinal, o que é marketing?

Antes de mais nada, é preciso compreender o conceito de marketing, que em inglês significa “mercado” ou “mercadologia”. Ele é o estudo da forma como lidamos com o mercado e seus resultados, objetivos e causas decorrentes. É um conjunto de processos elaborados para criar, comunicar, trocar e entregar ofertas de valor para a sociedade em geral (clientes, pacientes, parceiros, sócios, patrocinadores etc.).

Longe de significar apenas a venda de alguma coisa, o marketing se aprofunda em tudo o que envolve essa relação, procurando gerar valor para o público-alvo através de diversas estratégias para a divulgação do produto ou serviço, de forma ética, coerente e informativa.

Um bom conteúdo: a chave do marketing eficiente

A chave para um marketing bem feito é um bom conteúdo. Não adianta a embalagem ser bonita se o que está lá dentro não corresponde à descrição, não tem qualidade ou simplesmente não existe. O conteúdo do marketing para nutricionistas deve ser relevante, atualizado e original, e deve refletir a qualidade do serviço prestado. Por isso, é preciso que você olhe um pouco para si mesmo e se pergunte: “como posso melhorar?” Veja e reveja tudo, da sua apresentação pessoal ao seu esquema de atendimento, do consultório (como o conforto para seus clientes na espera) à sua empatia com os pacientes, do atendimento na recepção ao seu próprio humor e simpatia.

Lembre-se que cada paciente precisa ser atendido por um profissional competente e ético, mas também precisa ser conquistado. Faça atendimentos personalizados, saiba ouvir de verdade o que cada um tem a dizer, procure compreender a motivação que o levou até ali e como ajudá-lo a manter-se motivado o suficiente para continuar o tratamento até o fim. Leia com atenção a ficha de cada paciente antes que a consulta tenha início, anote suas impressões sobre eles e procure manter uma relação de parceria também fora do consultório, sugerindo cardápios e receitas, por exemplo.

O que diz o Código de Ética para Nutricionistas

De acordo com o Código de Ética do Nutricionista, a publicidade não deve, jamais, ser utilizada para sensacionalismo ou autopromoção, e todas as informações prestadas devem ser de sua inteira responsabilidade. Jamais dê qualquer tipo de declaração ou informação que permita, de alguma forma, identificar algum de seus pacientes, empresas, marcas utilizadas ou instituições, a menos que você tenha a autorização expressa, por escrito, dos envolvidos.

Da mesma forma, é vedada a divulgação de marcas e empresas ligadas à alimentação e à saúde em qualquer mídia, assim como mostrar preferência ou divulgar produtos farmacêuticos ou alimentares, mesmo que seja através de objetos ou peças de marketing, como vestuário. O código também veta a divulgação de conhecimentos em alimentação e nutrição que caracterizem consultas, atendimentos, diagnósticos ou a elaboração de dieta individualizada.

Há muito o que fazer

Pode parecer em um primeiro momento que o profissional está com as mãos amarradas, mas na realidade há muito o que fazer sem ferir qualquer aspecto do código de ética. Veja as seguintes dicas:

Use as redes sociais

Crie uma página no Facebook e no Instagram, por exemplo, com conteúdo sobre alimentação, vida saudável, dicas para gestantes, idosos e crianças, cuidados que homens e mulheres devem ter com a alimentação após os 40 anos e vários outros assuntos relacionados. Os posts devem ser curtos e diretos, mas com uma linguagem acessível e simpática e com fotos atraentes de excelente qualidade. Leia mais sobre o uso das redes sociais por profissionais da saúde em A nutrição nas redes sociais: os riscos e os benefícios dessa prática.

Anote muitos detalhes

Além da anamnese, anote algumas impressões pessoais a respeito do cliente e estude a melhor maneira de motivá-lo a se manter no tratamento. Alguns são mais fáceis do que outros, mas todos gostam de atenção, de saber que não são apenas mais um nome para o nutricionista. A mudança do comportamento alimentar é difícil, mexe com o humor das pessoas, mas a atenção certa dispensada pode ser a diferença entre o retorno ao consultório ou o abandono do tratamento. Isso também é marketing.

Use a tecnologia a seu favor

Uma boa forma de fidelizar seus pacientes é através dos aplicativos de saúde. Além de ajudar você no consultório, facilitando a anamnese, a elaboração de dietas e listas de substituição, por exemplo, um bom aplicativo permite que você atualize receitas, mantenha um chat com seus pacientes e acompanhe a sua evolução mais de perto, mesmo sem ser uma consulta formal.

Faça newsletters

Você também pode elaborar newsletters com informações nutricionais, dicas de alimentação e informações relevantes para os pacientes, inclusive em relação a determinadas datas, como opções de chocolate para a Páscoa, dicas para a ceia de Natal, almoço do Dia das Mães etc.

Utilizando o marketing, o nutricionista pode não só fidelizar seus clientes, mas também conquistar vários outros, consolidando seu nome no mercado.

Conheça mais sobre aplicativos para nutricionistas e como ele pode ajudá-lo aqui, no Dietbox.

Deixe uma resposta