Como orientar pacientes gestantes no meu consultório de nutrição?

Toda gestante é uma paciente extremamente preocupada com a qualidade da sua saúde, afinal, ela tem que garantir também a qualidade de vida do filho que está sendo gerado no seu ventre. Além de visitar o médico obstetra regularmente (e outros especialistas, caso seja necessário) a gestante também precisa se encontrar com um outro profissional extremamente importante para a sua saúde – o nutricionista.

Se você está tendo uma grande procura por gestantes no seu consultório, mas ainda não tem muita experiência no atendimento dessas pacientes, preparamos esse artigo com algumas dicas práticas para orientá-las melhor sobre a qualidade da sua alimentação. Confira!

Acompanhe a alimentação da gestante desde o primeiro dia de gestação

Ao contrário do que muita gente imagina, a gestante deve começar a mudar a qualidade da sua alimentação desde o dia um de sua gravidez, já que o feto recebe todos os efeitos do hábito de vida materno logo no começo de sua formação.

Por esse motivo, deixe claro para sua paciente que não existe um tempo para “despedida” de alimentos que devem ser evitados durante a gravidez, ou para começar a comer aquela salada que ela não gosta: o atendimento nutricional para a futura mamãe deve funcionar desde o começo.

Avalie a necessidade de suplementação ou não

Toda gestante acredita que a suplementação é uma necessidade para poder manter uma gravidez saudável e segura, mas nem sempre o uso desses complementos alimentares é obrigatório para toda mulher. A suplementação, como o próprio nome já indica, deve ser usada somente para complementar aquela alimentação que não é suficiente para nutrir mãe e bebê.

Por esse motivo, oriente a gestante a evitar fazer automedicação, visto que a suplementação em excesso também é extremamente prejudicial para a saúde da criança. Ela só deve ser realizada, se necessário, com supervisão do médico e do nutricionista.

Oriente sobre alimentos que podem ser consumidos nessa etapa da vida

A gestação é um período peculiar da vida da mulher e que demanda cuidados específicos para que o bebê não seja exposto a nenhum risco durante o seu desenvolvimento. Esses cuidados também envolvem o consumo de alimentos específicos, que são desencorajados durante esse período por poderem afetar o desenvolvimento fetal.

Produtos sem nenhum processo de cocção, industrializados e ricos em compostos químicos são somente alguns desses alimentos que estão na lista de proibidos.

Tenha cuidado com o ganho de peso

Que a mulher vai ganhar peso durante a gestação todo mundo sabe. O que muita gente desconhece é a quantidade de quilos que podem e precisam ser ganhos durante esse período, para que a saúde de mãe e filho não sejam prejudicadas.

A quantidade máxima de quilos que deve ser ganho pela mulher ao final da gestação varia entre 8 e 12kg, de acordo com o perfil da paciente. Qualquer valor maior ou inferior a esses é considerado risco para o desenvolvimento da criança. O nutricionista, portanto, deve estar atento a esse detalhe.

Orientar as pacientes gestantes não é uma tarefa tão difícil quanto parece, visto que a regra básica para a boa alimentação continua a ser aplicada aqui: saber comer de tudo, valorizando alimentos naturais e em quantidades moderadas.

Quais outras orientações você costuma passar para suas pacientes gestantes? Conte para a gente!

2 thoughts

  1. Olá. acho que houve um equívoco no trecho :” A quantidade máxima de quilos que deve ser ganho pela mulher ao final da gestação varia entre 8 e 12kg, de acordo com o perfil da paciente. Qualquer valor maior ou inferior a esses é considerado risco para o desenvolvimento da criança. O nutricionista, portanto, deve estar atento a esse detalhe.” Pois a faixa de ganho de peso gestacional não é restrita apenas entre 8 e 12 Kg, ela varia de acordo com estado nutricional pré-gestacional, podendo ser de até 18 Kg para gestantes baixo peso ou de apenas 5 Kg para as mamães obesas, sem representar riscos, segundo a última classificação da IOM 2009.

Deixe uma resposta