Como criar hábitos saudáveis e permanentes

Você tem hábitos saudáveis? Ou melhor, você conhece, de verdade, todos os seus hábitos? O fim do ano chegou e com ele uma verdadeira maré de promessas feitas a nós mesmos, típicas de fim de ciclo. Não tem jeito, é praticamente inevitável: que atire a primeira pedra quem nunca prometeu se exercitar mais, parar de fumar ou ter mais paciência com o chefe. É que nem segunda-feira, o dia internacional de início de regime.

Cumprir todas essas promessas, ou pelo menos algumas delas, já é outro papo – mas pensando bem, criar novos hábitos não é coisa tão fácil assim. Até porque, geralmente, para criar novos hábitos saudáveis é preciso abandonar hábitos antigos, prejudiciais ao organismo e à mente, mas que normalmente dão prazer. Complicado? Bastante, mas com solução. Veja como criar hábitos saudáveis e permanentes e conseguir dar outro rumo para a sua vida.

Maus hábitos podem ser destruídos em 66 dias. Como assim?

Primeiro é preciso entender que alguns hábitos são tão arraigados e há tanto tempo, que nem percebemos mais que ele existe. É como alguém que quer começar a fazer refeições saudáveis, mas nem percebe a quantidade real de besteiras que consome durante o dia. Mas nós não nascemos com eles, não fazem parte de nós, ao contrário, foram criados ao longo da vida, portanto, da mesma forma que foram criados podem ser destruídos.

De acordo com um estudo publicado no European Journal of Social Psychology em 66 dias, em media, é possível desenvolver novos hábitos, acabando com os prejudiciais (desde que não envolva substâncias viciantes ao organismo). A pesquisa envolveu 96 voluntários que, durante 12 semanas, escolheram, cada um, um novo hábito e descreveram diariamente o quão automática a atividade parecia. Em média, no 66º dia a nova atividade já era tão automática que já havia se tornado um novo hábito, acabando com o antigo. Sim, porque a ideia não é apenas acabar com um hábito ruim, mas colocar um bom e saudável no lugar dele.

Siga um roteiro e o incremente dia a dia

Por exemplo, se você adora jantar e jantar bem, capriche no prato, mas de salada. Faça isso durante 66 dias, mas a pesquisa acabou gerando até um roteirinho: durante os primeiros 22 dias, peça ajuda às pessoas do seu convívio diário, dê liberdade para que elas, literalmente, encham seu saco se o virem se alimentando de forma errada.

Do dia 22 ao 44, faça uma autoanálise. Pense nas mudanças que estão ocorrendo na sua vida e como elas estão influenciando seu dia a dia, como a comida saudável está melhorando sua disposição, seu humor e até suas noites de sono. Pense o que mais você pode fazer para amparar ainda mais esse novo hábito, caminhadas ou pedaladas diárias, acordar mais cedo, ingerir mais frutas e fibras no café da manhã.

Nos 22 dias restantes, pode haver o risco de uma recaída, então procure um motivo para seguir adiante. Você está mais elegante, sua autoestima está mais alta, as pessoas o olham de forma diferente. Ou simplesmente o fato de saber que consegue, afinal, você é o dono da sua vida – e dos seus hábitos. Agora, no 66º dia, dê um presente a você mesmo: comemore, vá a uma festa, à praia, faça uma viagem, se faça feliz. Só não vale fazer um banquete com tudo o que você evitou até agora.

Mantenha o foco e siga em frente, você já é outra pessoa

Algum dia a vontade de comer um monte de besteira vai voltar? Sim, provavelmente – mas já não será um hábito. Basta segurar um pouquinho a onda, olhar para trás e ver o caminho percorrido, a mudança positiva na sua vida e depois de um tempinho a vontade não só vai passar, como você vai achar um absurdo ter sido aquela pessoa que hoje já não reconhece em você.

Então preste atenção nas dicas

Coloque uma meta à sua frente

Comprometa-se com ela, podem ser 30 dias ou 66, não importa, o importante é fechar uma meta para tentar alcança-la. Lembre-se que o pior período são os primeiros 22 dias, então busque ajuda de quem convive com você.

Pratique diariamente

Para tirar um hábito ruim você deve colocar outro no lugar – sempre, não só de vez em quando. Então tenha autodisciplina e mantenha a continuidade.

Fuja dos exageros

Tudo o que é demais é perigoso e costuma não dar certo, então nada de exagero. Faça devagar, no tempo certo, porque querer ir muito rápido, com motivação exagerada, pode ser um verdadeiro tiro no pé: e logo acabe desistindo. Se for começar a caminhar, por exemplo, comece por 3 vezes na semana, por 40 minutos, depois passe para todos os dias pelo mesmo período e só depois aumente o tempo de caminhada. Mas tenha determinação.

Adicione uma âncora

Ela será uma espécie de ritual, como comer um belo prato de salada antes do principal, beber dois copos de água assim que acordar antes do café da manhã – ou toda vez que sentir vontade de comer um salgadinho ou snack. Tenha sempre uma barrinha de cereais, ela pode salvá-lo daquele lanche perdição típico de boca nervosa.

Remova as tentações

Se você quer ter uma alimentação saudável, não vai encher o carrinho de biscoitos, pizzas e refrigerantes, certo? Procure alternativas naturais e balanceadas, procure receitas na internet, experimente novas combinações – e faça as refeições sempre no horário certo, sem pular nenhuma delas.

O “mas” pode fazer milagres

Para fechar as dicas, essa é ótima: use a técnica do “mas”. Sempre que pensar em cair na antiga tentação, use o “mas” para voltar à meta. “Estou com vontade de comer um salgado, mas se eu fizer um sanduíche natural no pão integral essa vontade vai passar”. “Quero dormir até tarde, mas se eu levantar para caminhar, vou me sentir muito melhor depois”. Aos pouquinhos, sem perceber, você terá trocado um hábito ruim por outro saudável e alcançado seu objetivo.

E você, como tem conseguido superar criar hábitos mais saudáveis? Compartilhe com a gente as suas dicas aqui, nos comentários!

Deixe uma resposta