Projeto verão: como orientar seus pacientes da melhor forma

Nessa época do ano a cena do cliente entrando em seu consultório, dizendo que precisa perder peso o mais rápido possível parece muito comum, não é? E também quando ele chega após ter feito dietas inapropriadas na tentativa de reduzir medidas para o verão que está próximo. Acima de tudo, o importante é que ele recorreu à ajuda de um profissional e está disposto a reeducar a alimentação sem estratégias inadequadas.

Primeiramente compreenda a situação do paciente – ele não tem o conhecimento sobre fisiologia e alimentos como o nutricionista. E como a maioria das pessoas, ele não consegue identificar os próprios “erros” na alimentação e tende a seguir o que blogueiros e famosos indicam. Sendo assim, saiba que ele chegará cheio de dúvidas e inconformado como tal pessoa conseguiu chegar a um corpo incrível em pouco tempo e ele não.

Primeiras orientações

O nutricionista deve enfatizar que dietas muito restritivas (ou “radicais”) não fazem bem à saúde e exagerar na atividade física pode causar lesões e trazer problemas mais graves àqueles com cuidados prévios. Se o paciente quer perder 10 quilos em um mês, explique claramente sobre as consequências para o organismo. Estimulá-lo dizendo que é possível, pode trazer grandes frustrações.

Tenha uma explicação didática para explicar como o metabolismo varia de pessoa para pessoa e, após avaliar seus exames, como o dele funciona e quais os alimentos e estratégias que ajudam a melhorar. Diga que da mesma forma que um motor de carro precisa dos melhores produtos na quantidade certa, o corpo também necessita dos melhores alimentos em quantidades adequadas.

Hidratação, exercícios físicos e alimentação saudável

Esclareça a importância de cada um desses pontos e que eles se complementam. Explique que normalmente quando resolvemos nos dedicar a um dos pontos que queremos mudar em nossas vidas, os outros também melhoram como se fosse uma “cascata” – são os chamados hábitos angulares. Como consequência, as áreas emocional e intelectual também melhoram, além do sono que ganha muita qualidade. Não é um grande estímulo?

Se sozinho está difícil encarar a mudança, estimule-o a chamar um amigo, o parceiro ou um colega de trabalho para iniciar essa jornada. Atingir uma meta em conjunto é tão ou mais prazeroso do que o fazer sozinho!

Emagrecer sim, mas principalmente mudar os hábitos de vida

Sabe aquele paciente que diz que fará o possível para emagrecer em pouco tempo, mas durante a consulta você percebe que ele não está disposto a mudar os hábitos de vida para sempre? Trabalhe com ele a ideia de que tais mudanças só trarão benefícios a longo prazo e que não durarão apenas um verão. Ofereça apoio dizendo que não é necessário virar a vida dele de “cabeça para baixo” – uma técnica que faz com que muitos desistem do processo em pouco tempo – e que sempre que ele sentir alguma dificuldade, entre em contato com você.

Como dissemos no tópico acima, os hábitos angulares devem ser estimulados para que todos os outros melhorem. Uma boa e simples estratégia feita por muitos nutricionistas é solicitar ao paciente que ele anote tudo o que come. Assim, além de mostrar ao profissional como anda a alimentação, ele próprio observa suas escolhas.

Se possível, crie grupos de “Projeto Verão” para que todos troquem experiências e progressos entre si e aproveite os momentos para tirar as dúvidas, sugerir receitas e proporcionar um momento de lazer para o seu paciente!

Nutricionista: qual a sua melhor estratégia para orientar o paciente nessa época do ano?

Deixe uma resposta