Como lidar com as diferenças culturais de seus pacientes

Existem inúmeros costumes diferentes ao redor do mundo. Estas diferenças são percebidas na maneira como as pessoas se vestem, se cumprimentam, comemoram datas festivas e também na gastronomia. Este último ponto é especialmente importante para quem trabalha com nutrição.

Quantas pessoas entram no seu consultório diariamente? Algumas, não é mesmo? É pouco provável que todas elas compartilhem as mesmas origens e costumes. Algumas vezes, as diferenças não afetam o cardápio, outras vezes sim. Neste segundo caso, é preciso que o nutricionista respeite as tradições do paciente ao montar o cardápio e também ao dar dicas de como manter uma alimentação saudável. Como fazer isso? Contamos abaixo! Confira:

Como montar um cardápio adaptado à cultura do seu paciente

A Índia é um país culturamente muito rico, repleto de belas paisagens naturais. Quem visita o local, geralmente, volta encantado com o que vê por lá. Um fato bastante conhecido sobre a cultura indiana é o de que a vaca, para eles, é um animal sagrado. Com base nesta informação, é de se esperar que a carne do animal não seja um ingrediente comum na culinária indiana. De fato, até o hambúrguer do McDonald´s é adaptado aos costumes: é feito de batata e outros legumes.

Mas não são todos os indianos que pensam assim. A vaca é, na verdade, sagrada para o povo hindu, maioria no país. Os muçulmanos, por exemplo, são a maior minoria religiosa da Índia. Para eles, tudo bem comer carne de vaca. Já carne de porco, nem pensar. Outro povo que não come carne de porco são os judeus.

Estes são só alguns exemplos para mostrar que é preciso considerar fatores culturais e religiosos na hora de montar o cardápio dos seus pacientes.

Pergunte os costumes alimentares do paciente

O primeiro passo é conhecer os costumes de cada paciente, a melhor maneira de fazer isso é perguntando. Questione sobre possíveis restrições e hábitos – não só alimentares. Quanto mais você sabe sobre o paciente, mais fácil é de montar um cardápio que atenda todas as necessidades dele.

Estude sobre a religião e o país de origem

Perguntar sobre as restrições alimentares já é algo comum para o nutricionista, mas serve como passo inicial na hora de adaptar o cardápio a determinado paciente. Depois de perguntar mais sobre os costumes do país ou da religião, é importante que o nutricionista faça sua própria pesquisa sobre o assunto. Busque saber mais sobre o local de origem do paciente, sobre a história da gastronomia e sobre quais são as razões para determinadas restrições. Quanto mais você souber sobre o assunto, melhor preparado estará para montar um cardápio estruturado de acordo com costumes específicos.

Faça substituições para garantir um cardápio completo

Por fim, busque substituir os alimentos proibidos por outros que apresentem nutrientes e vitaminas semelhantes. Que outras proteínas podem ser sugeridas para alguém que não pode comer carne vermelha? É importante garantir que o paciente saia do consultório com um cardápio completo e equilibrado, além de adaptado à sua cultura.

Quer ver mais dicas direcionadas à area de nutrição? Acompanhe nossos posts!

Deixe uma resposta